Cáritas Diocesana executa 3ª edição do Águas para Educar e promove intercâmbio entre escolas rurais

Os Objetivos e Desenvolvimento Sustentável (ODS), são uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) da sua agenda socioambiental em vigor desde setembro de 2015, onde foram definidos 17 temas humanitários que devem servir como prioridade nas políticas públicas internacionais até 2030.

Dentre os ODS, o de número 6 indica, “Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos e todas”, objetiva buscar ajudar as pessoas que não têm acesso à água, e serviços de saneamento básico a terem esse direito.

Tendo como linha de ação Convivência com o Semiárido e aspirando este ODS, em 2018 a Cáritas Diocesana de Pesqueira executou o projeto Águas para Educar, que contemplou a construção de sete cisternas para captação de água da chuva com capacidade para armazenar 52 mil litros; e implantação de sete sistemas de reuso de águas residuais (bioágua), para a produção de uma horta em escolas rurais de cinco municípios do território diocesano.

Este ano o Projeto Águas para Educar, chega a sua 3ª edição com parceria da  Fundação Avina, a Loja de Multimarcas Dona Santa e Revista Vogue, e irá beneficiar duas instituições de ensino da cidade de Pesqueira; a Escola de Referência em Ensino Médio Professora Margarida de Lima Falcão, localizada na área urbana, bairro Cohab 2; e a Escola Intermediária Monsenhor Olímpio Torres, localizada no território indígena na Vila de Cimbres; com a implementação de um sistema de reuso de águas cinzas ( bioágua), além de uma horta e pomar .

Como experiência exitosa uma das escolas contempladas com o Projeto na segunda edição, a Escola Municipal Professora Adelzira Teixeira Cavalcante, localizada no povoado Mata Verde, no município de Tupanatinga, atualmente é referência para experimentos de intercâmbios de escolas rurais. Na última semana a instituição  recebeu os alunos da escola Margarida Falcão e Olímpio Torres para que puderam conhecer as experiências com acesso à água, reuso com o  bioágua, e horta e pomar.

Cerca de 60 alunos (as), integrantes da diretoria e professores da duas escolas visitaram a escola em Tupanatinga, e a propriedade de referência em agroecologia do agricultor, Ronaldo Macário, no mesmo município.

A diretora da escola em Tupanatinga apresentou a utilização da cisterna, do reuso das águas cinzas e da produção da horta e pomar onde colhem alface, coentro, salsa, cebolinha, cenoura, beterraba, tomate, pimentão, abóbora, feijão guandú para a preparação da merenda. Além das frutíferas que estão em fase de crescimento  como  goiaba, mamão, figo, limão e  pinha.

Na propriedade de Ronaldo Macário conheceram o canteiro econômico, o biodigestor, o galinheiro, a cisterna de ferrocimento, a reciclagem de pneus, o bioágua, dentre outros experimentos. Ao final os  alunos da escola indígena Monsenhor Olímpio  apresentaram  um pouco da cultura indígena, através de danças e cânticos.

Por Núcleo de Comunicação da Cáritas Diocesana de Pesqueira.

 

6

5

 

 

4

 

3

2

1

6

5

4

3

 

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *