Cáritas Diocesana de Pesqueira executa mais uma edição de projeto em escolas rurais com a implantação de cisternas e bioáguas

Trabalhar a convivência com o semiárido, através da educação contextualizada, se tornou uma das principais ações da Cáritas Diocesana de Pesqueira nos últimos dois anos. O projeto “Águas para Educar” é fruto desta discussão em parceria com a Fundação Avina e a Água AMA – água mineral produzida pela Ambev. Durante esse período, a iniciativa já atendeu 10 escolas, entre elas urbanas, quilombolas, indígenas e rurais nas cidades de Pesqueira, Sertânia, Tupanatinga, Buíque, Sanharó e Poção.

E agora, o projeto está em fase de execução novamente. Nesta edição, a Escola Vereador Afonso Bezerra, no sítio Tará, em Venturosa; e a Escola Municipal João Marques da Silva, no sítio Vila Nova, em Belo Jardim, serão beneficiadas com a chegada do “Águas para Educar”, que atenderá diretamente mais de 350 pessoas.

Serão implantadas cisternas para a captação de água das chuvas com capacidade para armazenar até 52 mil litros, bem como a implantação de sistemas de reuso das águas cinzas, conhecido como bioágua, que reutiliza águas descartadas pelas pias e lavatórios, com a finalidade para produção de hortas e pomares, um complemento alimentar na merenda da escola.

“Com o retorno das atividades, adotamos medidas de segurança e estamos executando mais uma edição do projeto. Com a chegada da pandemia, o acesso à água é um elemento imprescindível para garantir a higienização correta para o combate da proliferação do vírus. Por este, e tantos outros motivos, queremos garantir esse acesso à água nas escolas, através da cisterna, e também, a possibilidade de reutilizá-la com o bioágua”, comentou a secretária executiva da Cáritas Diocesana de Pesqueira, Magna Pollyana.

Além da implantação, o projeto trabalha na parte de mobilização e capacitação da comunidade escolar, na perspectiva de autonomia para que eles possam garantir a sustentabilidade do projeto após a conclusão. Atualmente, as duas escolas estão na fase das construções das tecnologias, e também, na mobilização para iniciar o processo de formação, que, devido a pandemia, será realizado de forma virtual. Serão ofertados os cursos sobre Gerenciamento dos Recursos Hídricos (GRH); Uso e manutenção do bioágua; e Manejo da horticultura e montagem da horta. 
Nas fotografias, estão registrados alguns momentos de outras edições do projeto nos anos anteriores.
Outras edições do projeto (1)
Outras edições do projeto (1)
Outras edições do projeto (2)
Outras edições do projeto (2)
Outras edições do projeto (3)
Outras edições do projeto (4)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *